1. Ada
  2. Condições
  3. Infarto do tronco encefálico

Infarto do tronco encefálico

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico

Visão geral

Um infarto do tronco cerebral é um tipo de acidente vascular cerebral (AVC), no qual o fornecimento de sangue para o cérebro é interrompido afetando o tronco cerebral, a parte do cérebro acima da medula espinhal que regula a respiração, pressão arterial e frequência cardíaca. Pessoas com alta pressão arterial, colesterol alto, doenças cardiovasculares (como ataques cardíacos ou AVC anteriores) ou que têm membros da família com essas doenças tem risco aumentado. Os sintomas mais comuns são tonturas, vertigem, desequilíbrio e funções vitais, como respiração e ritmo cardíaco prejudicadas. A recuperação após um acidente vascular cerebral depende do tamanho da área do cérebro envolvido. Em alguns casos, esta pode ser uma doença fatal, embora isso seja incomum. Muitas pessoas se recuperam bem com fisioterapia e tratamento da causa de seu acidente vascular cerebral.

Riscos

Os infartos do tronco encefálico são causados por uma interrupção no suprimento de sangue ao tronco encefálico, seja por bloqueio dos vasos sanguíneos (acidente vascular cerebral isquêmico), seja por hemorragia no tronco encefálico (acidente vascular cerebral hemorrágico). Esta condição é mais comum nos homens, e torna-se mais comum com a idade. Pessoas com fibrilação atrial (um ritmo cardíaco anormal), pressão alta, colesterol alto, doenças cardiovasculares e história familiar de acidente vascular cerebral ou mini-acidente vascular cerebral estão em maior risco de acidente vascular cerebral. Fumar, abuso de álcool e inatividade física também aumentam o risco de desenvolver esta condição.

Sintomas

Os sintomas podem variar muito de uma pessoa a outra, e dependem da área do cérebro afetado. Os sintomas comuns são tonturas, desequilíbrio, perda de audição e visão dupla. Algumas pessoas perdem a sensação ou tem fraqueza na face, nos braços ou nas pernas. Algumas pessoas tem soluços persistentes, náuseas, vômitos ou dificuldades respiratórias.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito em gral por um médico experiente ou neurologista com base nos sintomas, em um exame clínico e uma tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) do cérebro.Também pode-se fazer um ultra-som Doppler das artérias do pescoço e uma angiografia para procurar bloqueios em outros vasos sanguíneos. Outros exames podem ser um eletrocardiograma e exames de sangue para função renal e hepática.

Tratamento

Um possível infarto do tronco cerebral requer atenção urgente por um médico. O tratamento depende do tipo de infarto, e dos sintomas. Se foi sangramento o que causou o infarto, pode ser necessário bloquea-lo com um clipe ou micro-mola. Se a causa foi o bloqueio de um vaso sanguíneo, este pode ser dissolvido com a ajuda de medicação. O tratamento a longo prazo depende das consequências do derrame, mas a fisioterapia e tratamento por fonoaudiologia são úteis. Algumas pessoas podem precisar tomar medicação para afinar o sangue, a fim de evitar outro acidente vascular cerebral.

Prevenção

Exercitar-se regularmente, perder peso e deixar de fumar e de consumir álcool ou drogas podem ajudar a evitar as chances de um derrame. Pressão arterial elevada, fibrilação atrial e diabetes devem ser bem controlados, a fim de reduzir o risco de acidente vascular cerebral.

Prognóstico

O resultado de um infarto cerebral depende do tamanho do infarto e da área do cérebro que foi afetada. Em alguns casos, pode ser uma situação potencialmente fatal. O diagnóstico precoce e o tratamento melhoram a probabilidade de recuperação. Em alguns casos, esta condição resulta em graves complicações a longo prazo.