1. Ada
  2. Condições
  3. Infecção do trato genital por clamídia

Infecção do trato genital por clamídia

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico
  8. Outros nomes

Visão geral

A infecção por clamídia do trato genital é uma infecção sexualmente transmissível comum. Ela afeta mais comumente homens e mulheres entre 18 e 25 anos de idade. A clamídia é transmitida durante a relação sexual desprotegida (não usar preservativo). Muitas pessoas com clamídia não apresentam sintomas, o que facilita a transmissão. À medida que a infecção progride, algumas pessoas desenvolvem sintomas incluindo dor abdominal baixa, dor ao urinar e corrimento vaginal em mulheres ou corrimento peniano em homens. O diagnóstico é baseado em um teste de urina ou um cotonete do pênis ou da vagina. A clamídia é tratada com antibióticos. A maioria das pessoas recupera bem após o tratamento, mas a clamídia não tratada pode causar danos aos órgãos reprodutivos podendo e levar à infertilidade.

Riscos

Esta condição é uma infecção sexualmente transmissível (DST) causada por uma bactéria chamada Chlamydia trachomatis. A clamídia é transmitida através de relações sexuais. Pessoas com menos de 25 anos, que tiveram relações sexuais desprotegidas ou múltiplos parceiros sexuais durante o último ano, estão em maior risco de contrair clamídia.

Sintomas

Esta condição muitas vezes não causa sintomas nas primeiras três semanas após a infecção. Os sintomas típicos podem incluir secreção vaginal ou do pênis, dor durante a relação sexual, dor ao urinar, dor no baixo ventre e febre.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito com base nos sintomas e no exame físico. Uma amostra de urina ou um cotonete no interior da vagina ou da ponta do pênis pode confirmar a presença da bactéria. Como muitas pessoas não apresentam nenhum sintoma, elas podem ser diagnosticadas durante a triagem de rotina (teste sem sintomas) ou porque acham que podem estar em risco de ter uma DST.

Tratamento

A clamídia é tratada com antibióticos. É importante informar a todos os parceiros sexuais sobre o diagnóstico, para que também possam fazer o teste e o tratamento. As pessoas que estão em tratamento para clamídia não devem fazer sexo até que o tratamento com antibiótico seja concluído.

Prevenção

O uso de preservativos durante a relação sexual evita a infecção por clamídia. Certificar-se de que os parceiros sexuais sejam testados e tratados também ajuda a evitar a disseminação da infecção.

Prognóstico

A clamídia é tratada facilmente e responde bem aos antibióticos. A maioria das pessoas se recupera bem. Uma infecção por clamídia não tratada pode levar à infertilidade em homens e mulheres. As mulheres correm risco especial de uma complicação chamada doença inflamatória pélvica, uma inflamação que atinge os órgãos reprodutivos. Isso pode aumentar o risco de uma gravidez ectópica no futuro. As mulheres grávidas que contraem clamídia correm risco de passar a infecção para o bebê, de entrar em trabalho de parto antes do tempo ou ter um aborto espontâneo.

Outros nomes

  • infecção bacteriana dos sistemas reprodutivo e urinário