1. Ada
  2. Condições
  3. Vaginose bacteriana

Vaginose bacteriana

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico
  8. Outros nomes

Visão geral

A vaginite bacteriana, também chamada vaginose bacteriana, é uma infecção da vagina causada por bactérias. É causada por um desequilíbrio ou crescimento anormal da flora bacteriana vaginal natural. Esta condição é mais comum em mulheres sexualmente ativas. O sintoma mais comum é uma secreção vaginal cinzenta, espumosa, com odor desagradável. Um breve tratamento com antibióticos pode curar esta condição, e a maioria das pessoas não têm problemas persistentes.

Riscos

A vaginite bacteriana pode ocorrer quando a distribuição da flora bacteriana vaginal natural se torna desequilibrada. As mulheres que têm um dispositivo intra-uterino (DIU), que recentemente usaram antibióticos, que têm um novo parceiro sexual ou aumento do número de parceiros sexuais ou que tem o hábito de lavar a vagina com ducha podem ter um risco aumentado de desenvolver vaginite bacteriana. É mais comum em mulheres adultas.

Sintomas

O sintoma mais comum é uma secreção vaginal cinzenta, espumosa e desagradável. Ela tende a ser mais abundante do que o corrimento vaginal normal. Algumas mulheres podem desenvolver coceira e inchaço da vulva, dor ao urinar ou dor durante a relação sexual.

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente é feito com base nos sintomas, um exame ginecológico e, em alguns casos, pesquisando uma amostra da secreção vaginal para presença de bactérias incomuns.

Tratamento

O tratamento é uma série curta de comprimidos de antibióticos. Há também antibióticos em forma de gel que podem ser colocados na vagina.

Prevenção

Evitar o uso de duchas vaginais, aromas ou desodorante pode ajudar a evitar que algumas pessoas desenvolvam vaginite bacteriana.

Prognóstico

Esta condição em geral não é complicada e se resolve após o tratamento com antibióticos. Muitas mulheres tem vaginite bacteriana crônica. Se ocorrer uma vaginite bacteriana durante a gravidez e não for tratada, pode aumentar o risco de complicações, tais como parto prematuro ou aborto espontâneo. Também pode aumentar o risco de contrair infecções de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Outros nomes

  • crescimento excessivo de bactérias na vagina