1. Ada
  2. Condições
  3. Apneia obstrutiva do sono

Apneia obstrutiva do sono

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico
  8. Outros nomes

Visão geral

Apneia obstrutiva do sono é uma condição na qual o relaxamento dos músculos da garganta causa obstrução das vias aéreas enquanto a pessoa dorme. Isso provoca interrupção do sono, pois a pessoa tem dificuldade para respirar. Esta condição tende a afetar adultos entre 30 e 60 anos. Uma das principais causas dessa condição é a obesidade. Pessoas com apneia obstrutiva do sono costumam roncar alto durante o sono, e sentir-se anormalmente cansadas ou sonolentas durante o dia. O diagnóstico pode ser confirmado por um estudo do sono, que monitora sinais de problemas respiratórios enquanto a pessoa dorme. O tratamento da apneia obstrutiva do sono depende da gravidade dos sintomas, e mudanças de estilo de vida podem ser muito eficazes para reduzir ou controlar os sintomas. Com um controle ativo, muitas pessoas sentem melhoras nos seus sintomas.

Riscos

Apneia obstrutiva do sono ocorre quando os músculos relaxados durante o sono fazem com que as vias aéreas fiquem bloqueadas (obstruídas). Isso faz com que a pessoa pare de respirar (tenha apneia). É uma condição bastante comum. A apneia obstrutiva do sono afeta mais frequentemente pessoas entre 30 e 60 anos, e mais os homens do que as mulheres. Fatores de risco incluem obesidade, tabagismo, álcool, ter o pescoço volumoso ou alguma condição que cause nariz entupido, como pólipos nasais ou desvio do septo.

Sintomas

O sintoma mais comum é roncar alto com respiração difícil e interrompida durante o sono. Durante esses episódios, a pessoa pode parecer que acordou, recomeçando a respirar. O sono interrompido pode causar sonolência diurna, dificuldade de concentração, problemas de memória, dor de cabeça e irritabilidade. Nas crianças, os sintomas podem ser menos óbvios, mas podem incluir problemas de aprendizagem e de comportamento.

Diagnóstico

O diagnóstico baseia-se nos sintomas, exame clínico e, se possível, uma descrição desses episódios por alguém que tenha visto a pessoa afetada dormir. Para confirmar o diagnóstico, observa-se o sono numa clínica, onde a pessoa será monitorada para confirmar sinais da apnéia do sono. Esse exame se chama polissonografia ou estudo do sono. O teste inclui o monitoramento das ondas cerebrais, movimentos do peito e do abdome, o fluxo de ar através da boca e do nariz, o nível de oxigênio no sangue e a atividade do coração.

Tratamento

O tratamento para esta condição inclui mudanças de estilo de vida e dispositivos que ajudam a manter as vias aéreas abertas. Quem tem apneia obstrutiva do sono pode melhorar os sintomas perdendo peso, reduzindo o uso de cigarros e álcool, fazendo exercício regularmente e evitando dormir de costas. Em alguns casos, um dispositivo usado na boca pode ajudar a manter a garganta aberta. Em casos mais graves, uma máquina que bombeia ar pelo nariz e a boca pode ajudar a evitar que as vias aéreas fiquem bloqueadas. Em geral se considera uma cirurgia apenas se outros tratamentos fracassaram.

Prevenção

Manter um peso saudável, fazer exercícios regularmente, reduzir o uso de cigarros e do álcool e não dormir de costas são medidas que ajudam a evitar os sintomas de apnéia obstrutiva do sono.

Prognóstico

Apneia obstrutiva do sono é uma condição que pode ser crônica, mas certas mudanças no estilo de vida podem ser eficazes para controlar e reduzir os sintomas. Se a condição não for bem controlada, podem surgir complicações tais como pressão arterial elevada e acidentes devido à sonolência.

Outros nomes

  • dificuldade para respirar por bloqueio das vias aéreas durante o sono