1. Ada
  2. Condições
  3. Cirrose hepática

Cirrose hepática

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico

Visão geral

A cirrose hepática ocorre quando uma condição médica a longo prazo faz com que o fígado fique com cicatrizes de seu tecido. Isso causa problemas de circulação do sangue pelo fígado, e interfere na sua função. Existem muitas causas possíveis de cirrose hepática, mas as mais comuns são hepatites, fígado gorduroso, abuso prolongado de bebidas alcóolicas. O diagnóstico envolve muitos exames para investigar a função que restou do fígado e a causa do dano. O tratamento envolve manejar a causa de base e prevenir dano futuro. É também importante reduzir ou parar o consumo de álcool. Não há cura para cirrose hepática, mas um bom manejo pode retardar a formação de mais cicatrizes e parar a progressão.

Riscos

A cirrose hepática ocorre quando uma condição médica de longa duração faz com que o fígado forme tecido de cicatrização. Este tecido de cicatriz substitui o fígado normal, saudável, e faz com que o fígado funcione pior. O fígado tem muitas funções, e age para quebrar (metabolizar) muitas substâncias que comemos e bebemos (por exemplo álcool e alguns medicamentos), produz substâncias para a digestão (suco biliar), armazena o açúcar para uso futuro, e produz proteínas para ajudar com outras funções corporais, tais como a coagulação do sangue. As causas mais comuns de cirrose do fígado são alcoolismo contínuo há muito tempo, e hepatite viral B ou C a longo prazo. Outras causas podem ser a inflamação provocada por doenças auto-imunes (em que o sistema imunitário ataca erroneamente o fígado ou os canais biliares), ou o armazenamento excessivo de ferro (hemocromatose) ou de gordura (doença do fígado gorduroso) no fígado. Alguns medicamentos também podem causar esta condição. Esta condição é comum. A cirrose hepática afeta mais comumente adultos com mais idade e pessoas com outras condições médicas. A obesidade também é um fator de risco.

Sintomas

Os sintomas típicos são fadiga, coceira na pele, tremor, perda de apetite, perda de peso e de massa muscular, amarelamento da pele e dos olhos (icterícia), aparecem vasos sanguíneos pequenos em forma de aranha na pele, e inchaço nas pernas e no abdômen. Conforme a doença progride, a pessoa pode se tornar confusa, esquecida e sonolenta. Os sintomas da cirrose hepática ocorrem quando o fígado está cicatrizado e que o sangue não é capaz de fluir livremente através dele ou desempenhar as suas funções. Por esta razão, os sintomas geralmente ocorrem apenas nos estágios mais avançados da cirrose.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por um médico que avalia sintomas, fazendo um exame clínico e fazendo uma análise de sangue para investigar a função hepática e possíveis causas subjacentes, como o vírus da hepatite, ou sinais de inflamação no corpo. Em muitos casos, também é necessário um ultra-som ou tomografia computadorizada do fígado. Em alguns casos, pode-se retirar uma pequena amostra do fígado (uma biópsia) para investigar a causa subjacente.

Tratamento

O tratamento depende das causas da cirrose do fígado e do estágio em que estão os danos no órgão, no momento do diagnóstico. As medidas mais comuns costumam ser reduzir a ingestão de álcool, tomar lactulose (um açúcar sintético) que não pode ser digerido pelo corpo e ajuda a limpar as toxinas. Se há uma causa subjacente, esta deve ser tratada ou gerida. Podem ser necessários outros procedimentos para investigar ou tratar as complicações. O último recurso em casos de insuficiência hepática total é o transplante de fígado.

Prevenção

Reduzir a ingestão de álcool pode ajudar a prevenir muitos casos de cirrose hepática. Prevenir infecções pela hepatite B ou C também pode ajudar a prevenir esta condição. Manter um peso saudável também ajuda.

Prognóstico

Não há cura para a cirrose hepática, mas com gestão adequada, pode-se retardar ou interromper a progressão desta condição.