1. Ada
  2. Condições
  3. Gravidez

Gravidez

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico

Visão geral

A gravidez é a fertilização de um óvulo humano e o desenvolvimento de um bebê no útero. Para engravidar é necessário que o sêmen entre em contato com um óvulo humano. Isto pode acontecer durante o ato sexual ou através de outros métodos, como a fertilização in vitro (FIV). Os primeiros sinais da gravidez são: a falta de um período menstrual, cansaço, náuseas e vômitos e sensibilidade aumentada nos seios. As mulheres grávidas devem consultar um médico regularmente para verificar a sua saúde e a da criança em desenvolvimento.

Riscos

Para que ocorra a gravidez, um óvulo e um espermatozóide humanos precisam se unir sob condições favoráveis ​​para a gravidez. As chances de gravidez são maiores quando não se usa um método de contracepção e quando a relação sexual ocorre durante o período de ovulação.

Sintomas

Os primeiros sinais típicos de gravidez são a falta de um período menstrual, cansaço, náuseas com vômitos e sensibilidade na região mamária. Sinais mais avançados de gravidez são uma irritação ou erupção marrom no rosto, pés e tornozelos inchados, urinar com maior frequência e, finalmente, ganho de peso e aumento da cintura. Os sinais da gravidez são o resultado das mudanças hormonais e físicas que ocorrem no corpo da mulher e que ajudam a sustentar a criança à medida que esta se desenvolve.

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente é feito por um teste de gravidez. Os testes de gravidez pesquisam a presença de um hormônio chamado Beta-hCG na urina ou sangue. Beta-hCG é produzido pelo embrião (o bebê nos primeiros dias e semanas de vida), podendo ser detectado entre 8 e 11 dias após a concepção.

Tratamento

As mulheres grávidas devem visitar um médico regularmente para verificar a sua saúde e a da criança. As complicações que ocorrem durante a gravidez, tais como hipertensão arterial ou diabetes, podem necessitar de tratamento médico.

Prevenção

A prevenção pode ser feita através da contracepção (controle de natalidade). Existem vários métodos contraceptivos. Discutir as vantagens e desvantagens dos diferentes métodos com o médico da família ou ginecologista poderá ser benéfico. As opções mais comuns são os preservativos, a pílula contraceptiva, depo-provera (injeções) e dispositivos intra-uterinos (DIU, dispositivo de cobre que fica no interior do útero). Também é possível amarrar ou cortar as trompas de Falópio (nas mulheres) ou o canal deferente (vasectomia nos homens) a fim de evitar uma gravidez futura. Apesar de pequenos procedimentos cirúrgicos as consequências são permanentes.

Prognóstico

Na maioria dos casos a gravidez ocorre sem complicações, especialmente em mulheres jovens e saudáveis. Mulheres mais velhas ou com outras condições médicas, podem correr um maior risco de desenvolver complicações durante a gravidez, tais como hipertensão arterial, diabetes e pré-eclâmpsia. Mulheres grávidas com vários bebês (gêmeos, trigêmeos ou mais) têm também um risco maior de vir a sofrer complicações.