1. Ada
  2. Condições
  3. Esquizofrenia

Esquizofrenia

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico

Visão geral

A esquizofrenia é um distúrbio de saúde mental que afeta a maneira como uma pessoa pensa, sente e se comporta. Isto ocorre em consequência de hiperatividade cerebral ou atividade do cérebro desorganizada. A esquizofrenia tende a ocorrer primeiro durante a adolescência ou no início da idade adulta. Os sintomas e gravidade da esquizofrenia podem variar muito de pessoa para pessoa, e muitas vezes começam com sintomas sutis, como o isolamento da vida social e diminuição da motivação, bem como o desenvolver de crenças estranhas ou ouvir e ver coisas que não existem. O diagnóstico geralmente é feito por um psiquiatra. A gestão dessa condição normalmente é feita por uma equipe experiente, envolvendo medicação e apoio psicológico. O diagnóstico precoce e uma boa terapia oferecem uma melhor chance de uma recuperação completa.

Riscos

A esquizofrenia ocorre quando há uma perturbação nas substâncias químicas responsáveis ​​pelo sistema de mensagens do cérebro. A causa da esquizofrenia não é bem compreendida, mas é provável que vários fatores se combinem para causar esta condição. Isso inclui problemas que ocorrem durante o parto, o uso de algumas drogas e ter passado por eventos estressantes ou traumáticos. Pode haver uma causa genética, pois a esquizofrenia tende a ocorrer em famílias. A maioria das pessoas com esquizofrenia vai começar a ter sintomas na adolescência, e a maioria delas é diagnosticada entre as idades de 15 e 35 anos. A esquizofrenia pode afetar tanto homens quanto mulheres.

Sintomas

Os sintomas da esquizofrenia podem variar muito de uma pessoa para outra. Nas fases iniciais, os sintomas são muitas vezes assustadores, e a pessoa afetada pode não contar a ninguém que eles estão ocorrendo. De um modo geral, existem dois grupos de sintomas da esquizofrenia. O primeiro tipo inclui os sintomas mais conhecidos da esquizofrenia, tais como ouvir, sentir ou ver coisas que não existem, e ter crenças estranhas, fortemente enraizadas. Outros sintomas incluem falar de forma ilógica, confusa, e agir de forma errática, desorganizada. Os sintomas menos dramáticas são possivelmente mais comuns, embora não tão bem conhecidos. Estes incluem evitar a vida social, comportamento desorganizado, diminuição da motivação, uma diminuição da resposta emocional e raciocínio e movimentos lentos. Os sintomas da esquizofrenia, muitas vezes interferem seriamente com a vida cotidiana.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por pessoal médico especializado experiente ou psiquiatra com base nos sintomas. Conversar com pessoas próximas à pessoa afetada também é útil para confirmar o diagnóstico. É importante excluir outras causas para os sintomas, e isso pode envolver exames de sangue e exames de imagem da cabeça.

Tratamento

A gestão da esquizofrenia se faz com uma equipe de apoio de profissionais de saúde. A gestão envolve o controle dos sintomas e proporcionar apoio emocional e psicológico e ajudar a pessoa a voltar à vida cotidiana. Pessoas com sintomas de esquizofrenia podem ser tratadas em casa, ou se os sintomas são muito graves, no hospital. As medicações antipsicóticas ajudam a desacelerar a atividade cerebral que produz os sintomas da esquizofrenia. Estes medicamentos podem ser comprimidos ou preparações injetáveis, e podem ser tomados por 1 a 2 anos após o diagnóstico, ou por mais tempo, se necessário. As medidas de suporte são muito importantes e podem incluir aconselhamento, terapia ocupacional e ajuda de um assistente social na gestão dos aspectos práticos da vida. Estas medidas de tratamento devem se concentrar em habilidades do indivíduo e tr como objetivo uma vida independente. O diagnóstico e tratamento precoces dão a melhor chance de uma boa recuperação.

Prevenção

Pessoas com esquizofrenia devem permanecer em contato constante com sua equipe de gestão de saúde mental para que ajudem a reconhecer cedo as recorrências e evitar episódios graves de sintomas.

Prognóstico

O resultado após o diagnóstico pode ser variável. Com o reconhecimento precoce e boa gestão, muitas pessoas podem gerir seus sintomas até o ponto onde elas experimentam apenas sintomas ocasionais ou ficam completamente livres de sintomas. Algumas pessoas podem ter episódios de sintomas graves que necessitam de tratamento intensivo ou hospitalização. Um grupo de pessoas com esquizofrenia podem desenvolver sintomas graves e persistentes e necessitar de apoio psiquiátrico intensivo e contínuo.