1. Ada
  2. Condições
  3. Sífilis secundária

Sífilis secundária

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico

Visão geral

A infecção por sífilis é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada por infecção bacteriana. A sífilis secundária ocorre quando as bactérias se espalham do local da infecção por todo o corpo. Os adultos jovens são mais comumente afetados. Os sintomas da sífilis secundária incluem uma erupção na pele e na boca, dores musculares, dores nas articulações e febre. Praticar sexo seguro ajuda a reduzir o risco de pegar sífilis. Usa-se antibióticos ​​para tratar a infecção. Com o tratamento precoce e eficaz, a maioria das pessoas se recupera bem.

Riscos

Infecção por sífilis é uma doença sexualmente transmissível causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum. Se a infecção não for diagnosticada e tratada, a infecção por sífilis tende a causar vários estágios de sintomas, e estes são chamados os estágios primários, secundários e terciários, ou tardios. Pode levar anos para a sífilis progredir da primeira fase até à fase tardia. Os adultos jovens entre as idades de 15 e 24 anos são mais comumente diagnosticados.

Sintomas

Os sintomas da sífilis secundária são uma erupção na pele e na boca, dores musculares, dores nas articulações e febre. A erupção também pode ser nas palmas das mãos e solas dos pés. Algumas pessoas também podem perder o cabelo e pelos do rosto. Os sintomas precoces da sífilis são uma ferida indolor na área genital, boca ou nádegas, e aumento dos gânglios linfáticos na virilha. Estes geralmente desaparecem dentro de algumas semanas, e às vezes não são notados. As fases posteriores da sífilis se desenvolvem lentamente ao longo dos anos, e afetam o coração, cérebro e outras partes do corpo. Isso causa uma variedade de sintomas, incluindo falta de ar, confusão, esquecimento, perda de coordenação e danos nos nervos, entre muitos outros.

Diagnóstico

O diagnóstico é habitualmente feito com base nos sintomas, exame físico e em um exame de sangue para confirmar a presença de anticorpos (proteínas que combatem a infecção) para a sífilis. Muitas pessoas são diagnosticadas em exames de triagem (testar as pessoas em risco, mas sem sintomas), porque a sífilis pode não causar nenhum sintoma ou sintomas muito incomuns. Caso haja uma úlcera, uma amostra pode ser recolhida para testar a presença da bactéria. Se a condição progrediu, exames de imagem do coração e vasos sanguíneos, cérebro e fluido espinal devem ser feitos para procurar sinais de complicações.

Tratamento

Sífilis é tratada com antibióticos. Costuma-se fazer exames de acompanhamento para testar se a infecção foi completamente tratada.

Prevenção

Praticar sexo seguro pode prevenir novas infecções de sífilis. Geralmente se faz triagem (testar sem sintomas) de mulheres grávidas para sífilis, para evitar a transmissão da bactéria ao bebê.

Prognóstico

Com diagnóstico precoce e tratamento, a maioria das pessoas se recupera bem e não têm problemas de longa duração. Sífilis não tratada pode se difundir lentamente para outras partes do corpo, e causar danos aos vasos sanguíneos, ao cérebro e no sistema nervoso.