1. Ada
  2. Editorial
  3. Medicina & saúde
  4. Varíola de macaco: o que sabemos

Varíola de macaco: o que sabemos

Ilustração do vírus da varíola macaco

Você já deve ter ouvido que uma doença chamada varíola de macaco está se espalhando  em partes do mundo onde isso normalmente não acontece.. 

Como muitas pessoas que ouvem as notícias, você provavelmente tem perguntas. Estamos aqui hoje para respondê-las. Portanto, se você está procurando entender a situação da varíola macaco, este é o artigo para você. 

Mas antes de começar, gostaríamos de informá-lo que a varíola macaco não é uma condição séria para a maioria das pessoas.

Na maioria dos casos, a varíola do macaco  cura-se  em algumas semanas sem tratamento.ref1 Mulheres grávidas, crianças e pessoas imunocomprometidas podem estar sob maior risco de doenças graves.ref1

Agora, vamos ao artigo.

O que está acontecendo

As autoridades sanitárias estão em alerta porque os cientistas identificaram casos de varíola macaco na Europa, nas Américas e na Austrália.ref1 Eles estão preocupados porque a varíola macaco é rara fora dos países da África Central e Ocidental.ref1

No momento em que escrevemos esse artigo, o número de casos é baixo, mas está aumentando diariamente. Até 21 de maio, o surto atual não causou nenhuma  morte.ref1

O que é varíola de macaco?

A varíola macaco é uma doença que os cientistas descobriram pela primeira vez em macacos em 1958, que é onde recebe seu nome.ref1 Ela foi vista pela primeira vez em humanos em 1970.ref1

Essa condição é causada pelo vírus da varíola do macaco, um vírus da mesma família da varíola comum, embora cause uma doença menos grave.ref1 Existem duas variantes de vírus da varíola: a cepa  da África Ocidental e a cepa da Bacia do Congo. Todos os casos identificados no surto foram causados pela cepa da África Ocidental, que é o tipo menos grave.ref1

Quais são os sintomas da varíola de macaco?

A varíola de macaco geralmente causa febre e uma erupção cutânea distinta, mas outros sintomas incluem:ref1

  • Dores de cabeça
  • Dores nas costas
  • Dores musculares
  • Gânglios linfáticos inchados

A erupção cutânea da varíola geralmente aparece no rosto, mãos e pés, embora também possa afetar outras partes do corpo. Eventualmente, a erupção cutânea evolui para uma descamação, e cai espontaneamente. ref2 

Existem tratamentos para a varíola de macaco?

A vacina contra a varíola pode ser até 85% eficaz na prevenção da varíola de macaco. Existem também medicamentos antivirais que podem ser eficazes contra a condição.ref2  

Mas para a maioria das pessoas com uma infecção, o tratamento não é necessário, já que a doença vai seguir seu curso sozinha.ref2

Como a varíola macaquial se propaga?

As infecções pela varíola podem ocorrer devido ao contato com animais ou pessoas infectadas.ref1 O vírus se propaga através do contato pele com pele, troca de fluidos corporais e gotículas respiratórias.ref1

Por que a varíola de macaco está se espalhando agora?

O número crescente de casos de macaco varíola pode ser devido à queda das vacinas contra a varíola em todo o mundo nos anos 80.ref3 Isto significa que a maioria das pessoas com menos de 45 anos de idade tem pouca imunidade à varíola e outros vírus similares.

Preciso me preocupar com a varíola de macaco?

As autoridades sanitárias estão em alerta porque esta é uma situação incomum. Mas a maioria dos cientistas concorda que este surto não levará a uma pandemia como a COVID-19. 

Em primeiro lugar, a varíola macaco não é um vírus novo. Já temos vacinas e tratamentos que são eficazes contra ele. Além disso, a varíola macaco se propaga mais lentamente que a COVID-19, e a erupção característica significa que é fácil saber se você está infectado e precisa ficar longe dos outros. 

À medida que o número de casos aumenta, será necessária ação. Mas isso não significa que não haja motivo para pânico.


  1. WHO (2022). Multi-country monkeypox outbreak in non-endemic countries. Acesso em 27 de maio de 2022.

  2. WHO (2022). Monkeypox. Fact Sheet. Acesso em 27 de maio de 2022.

  3. Bunge EM, et al. (2022). The changing epidemiology of human monkeypox-A potential threat? A systematic review. Acesso em 27 de maio de 2022.

Escritor(a):

Harry O’Connor
Harry O’Connor

Harry é escritor de conteúdo científico na Ada.