1. Ada
  2. Condições
  3. Doença inflamatória pélvica

Doença inflamatória pélvica

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico
  8. Outros nomes

Visão geral

Doença inflamatória pélvica (DIP) é uma infecção bacteriana do cérvix (colo uterino), tubas uterinas (trompas de falópio), ovários e útero. As causas mais comuns são doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Essa condição pode afetar mulheres de todas as idades, mas mais comumente afeta mulheres entre as idades de 15 e 24 anos. Os sintomas incluem dor pélvica ou no abdômen, dor durante as relações sexuais, corrimento vaginal, e febre. A doença inflamatória pélvica é geralmente tratada com antibióticos, e o diagnóstico e tratamento precoces são importantes para evitar complicações como cicatrizes internas e infertilidade.

Riscos

A doença inflamatória pélvica é um termo médico que descreve uma infecção do colo do útero, do útero (ventre) e das trompas de Falópio. Isso é mais comumente causado por uma infecção bacteriana. Embora esta seja muitas vezes uma infecção sexualmente transmissível (DST), como a clamídia ou a gonorréia, por vezes pode ser causada por outras bactérias. A doença inflamatória pélvica pode afetar mulheres de todas as idades, mas geralmente afeta pessoas entre os 15 e 24 anos.

Sintomas

Os sintomas podem incluir dor na pélvis ou abdômen, dor profunda durante a relação sexual, períodos menstruais mais longos do que o habitual ​​e uma alteração na secreção vaginal. Algumas pessoas podem ter febre, náuseas, vômitos ou dor quando vão ao banheiro.

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito com base nos sintomas e no exame ginecológico. Durante o exame, amostras de fluido ou pus pode ser colhida para identificar as bactérias que causam a infecção.

Tratamento

A doença inflamatória pélvica é tratada com antibióticos. Se a infecção for muito grave, os antibióticos podem ser administrados através de um gotejamento (linha intravenosa). Se a infecção provoca uma coleta de pus ou cicatrizes nas trompas de Falópio, isso pode precisar de tratamento cirúrgico, mas é bastante incomum.

Prevenção

A maneira mais importante para prevenir a doença inflamatória pélvica é usar camisinha durante a relação sexual. A camisinha é a melhor maneira de prevenir a propagação de infecções sexualmente transmissíveis (DST). As pessoas que foram diagnosticadas com uma DST devem entrar em contato com parceiros sexuais anteriores para que estes possam ser testados e tratados, se necessário.

Prognóstico

A maioria das pessoas recupera-se bem após o tratamento e a infecção não causa problemas a longo prazo. No entanto, se a infecção não é tratada, ou se a pessoa reinfecta após o tratamento, é mais provável que as complicações se desenvolvam. Isso pode incluir cicatrizes no útero e nas trompas de Falópio, dificuldade em engravidar, gravidez fora do útero (gravidez ectópica) e dor pélvica prolongada.

Outros nomes

  • uma infecção dos órgãos reprodutores femininos