1. Ada
  2. Condições
  3. Trabalho de parto prematuro

Trabalho de parto prematuro

  1. Visão geral
  2. Riscos
  3. Sintomas
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento
  6. Prevenção
  7. Prognóstico

Visão geral

Trabalho de parto prematuro é o termo médico para um parto que acontece antes da 37ª semana de gravidez e após a 20ª semana. Mulheres grávidas de vários bebês (gêmeos, trigêmeos ou mais) que tenham complicações na gravidez, ou que bebem álcool ou fumam durante a gravidez são mais propensas a desenvolver esta condição. Os sinais de trabalho de parto prematuro podem ser inicialmente leves, com dor lombar, dor abdominal e um corrimento vaginal claro ou manchado de sangue. O diagnóstico é geralmente fácil, especialmente se o colo do útero estiver dilatado durante o exame ginecológico. O tratamento consiste em medicação para retardar o trabalho de parto, esteróides para ajudar os pulmões do bebê a se desenvolverem e possibilitar um parto seguro. Os bebês que nascem prematuros mas nas fases finais da gravidez não correm tanto risco. Bebês que nascem muito cedo podem não estar completamente desenvolvidos e têm um risco maior de complicações.

Riscos

O trabalho de parto prematuro ocorre quando uma mulher entra em trabalho de parto antes da 37ª semana de gravidez. A gravidez dura normalmente de 37 a 41 semanas após a concepção. Há vários fatores que podem aumentar o risco de uma mulher entrar em trabalho de parto cedo demais. Fatores como infecções na vagina ou no útero, estresse extremo e lesões no colo do útero (a entrada do útero). Mulheres grávidas de vários bebês (gêmeos, trigêmeos ou mais), que tenham uma grande quantidade de líquido amniótico ou que tenham algum problema na placenta também correm o risco de entrar em trabalho de parto prematuro. Mulheres com outras condições médicas, como diabetes, ou que tomam bebidas alcólicas, são fumantes ou usam drogas durante a gravidez também correm riscos maiores de ter esta complicação.

Sintomas

Os sintomas típicos são: dor lombar persistente, dor abdominal, cãibras e contrações do útero (ventre). Pode haver uma secreção vaginal clara ou manchada de sangue.

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente é feito com base nos sintomas e no exame clínico. O exame clínico é ginecológico para verificar se o colo do útero (a abertura para o útero) está aberta.

Tratamento

O tratamento pode ser o parto do bebê, se isso for seguro, ou tomar medidas para prolongar a gravidez. Vários medicamentos podem interromper o trabalho de parto por várias horas. Mulheres com risco de entrar em trabalho de parto antes da 34ª semana de gravidez devem receber medicação à base de esteróides para ajudar a desenvolver os pulmões da criança por nascer.

Prevenção

Os exames e o tratamento de infecções podem ajudar a prevenir alguns casos de parto prematuro. Deixar de fumar e total abstinência de bebidas alcoólicas durante a gravidez também pode ajudar.

Prognóstico

O prognóstico após um nascimento prematuro depende de quando este ocorre. Bebês nascidos após a 34ª semana terão melhores chances de sobreviver e de sofrer menos complicações. Se o trabalho de parto começar antes dessa época, a equipe médica tentará prolongar a gravidez para dar ao bebê mais tempo de se desenvolver e e assim ter melhores chances de sobrevivência sem complicações.